segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Pico de desenvolvimento e salto de crescimento

Tenho percebido minha filha diferente nesta semana,ela que sempre foi de se distrair fácil com brinquedos ou correndo pelo quintal, agora não me deixa parar pra lavar uma louça que já vem pedindo colo, esta super manhosa, chorosa, querer dormir o tempo todo e quando dorme só fica na cama 10 minutinhos. Quando ela era RN eu pesquisei bastante sobre os picos de crescimento e saltos de desenvolvimento que ocorrem com os bebês, só que eu não sabia que costumava acontecer com bebêzões ( 1 ano e 7 meses) como no caso da Isabel.

Os picos de crescimento podem acontecer por volta dos:

7 a 10 dias
2 a 3 semanas
4 a 6 semanas
3 meses
4 meses e
9 meses

Eles podem durar poucos dias ou algumas semanas, é um momento que o bebê tem necessidade de mamar mais para suprir suas necessidades de crescimento.
Os bebês que passam pelo pico de crescimento pode passar horas mamando ( de verdade!), quando isto acontece algumas mães começam a questionar se o leite esta sendo suficiente, se não está fraco ou se o bebê é muito faminto.
Seja persistente! De todo o peito que seu filho precisar e evite ao máximo as fórmulas e os engrossantes. Essa fase passa rápido e ele logo voltará a mamar como antes.

Os saltos de desenvolvimentos podem acontecer por volta dos:

5 semanas a 1 mês
8 semanas a quase 2 meses
12 semanas a quase 3 meses
19 semanas a 4 meses e meio
26 semanas a 6 meses
30 semanas a 7 meses
37 semanas a 8 meses e meio
46 semanas a quase 11 meses
55 semanas a quase 13 meses
64 semanas a quase 15 meses
75 semanas a 17 meses

No salto de desenvolvimento o bebê se sente perdido por estar adquirindo novas habilidades tão rapidamente, tende retroceder à sua base, ou seja, à mãe.
Nessas fases os bebês demandam muita atenção e colo então é importante proporcionar isso à eles, não fique com medo de "mal acostumar"o bebê, seu filho se tornará mais confiante se você suprir essas necessidades afetivas. Para fazer outras coisas como cozinhar, ficar no computador, varrer a casa invista nos slings. Foi muito útil pra mim! Ele permite que você fique com o bebê coladinho e deixa suas mãos livres para outras coisas.
Ele pode começar a comer mal ou não comer nada. Se já come papinha ou comida volta a mamar mais mamadeira ou peito. Por aqui esta fase aconteceu por volta dos 10 meses, ela só queria saber de mamadeira e minhas papinhas deliciosas (cof!cof!) eram deixadas de lado, como eu não sabia o que estava acontecendo ficava bem frustrada.
Também é comum  que o sono do bebe se modifique, passe a acordar mais vezes e dormir pouquinho à noite e nas sonecas. Mais uma vez...paciência! Esta fase passa rápido!
Após estas crises é comum observar habilidades novas nos bebês como sorrir, rolar, engatinhar, andar.


Tirei essa foto quando ela tinha uns 10 meses. Eu mesma tirei tá gente! hahaha pra ninguém pensar que alguém estava me trolando tirando foto invés de lavar louça no meu lugar! kkkk
Bom, está foto ilustra um dos saltos de desenvolvimento pelo qual passamos, neste dia ela não queria ficar no chão brincando de jeito nenhum, eu estava com a casa revirada e as visitas perto de chegar, tive que recorrer ao meu, na época aposentado, sling. Depois desta fase ela aprendeu à andar, tinha 11 meses, é impressionante como depois dos saltos é possível observar eles aprendendo a fazer coisas que antes não faziam.
Agora me resta aguardar esse novo salto passar dando muito amor, carinho, atenção! Quem sabe daqui uns dias sua nova habilidade adquirida seja a tagarelice?! Não vejo a hora! rs

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Hortas e crianças

Eu sempre planejei plantar temperos na minha casa, mas faltava coragem e iniciativa, eu achava que faltava espaço também, mas hoje eu sei que qualquer lugarzinho que bate bastante sol pode ter um pouquinho de verde.
Conforme a Isabel foi crescendo esse projeto renasceu em mim e em agosto eu resolvi dar o pontapé inicial: delimitei um espaço no meu quintal com blocos, tirei o entulho e pedras que haviam no local, comprei terra adubada orgânica e joguei sementes de couve e tomate-cereja lá. Depois li na embalagem que essas sementes tinham que ser plantadas antes na sementeira pra depois ir pro solo, só que, por incrível que pareça, elas estão crescendo e bem bonitinhas por sinal! Eu que não sabia direito como funcionava o negocio estou com 2 meses de plantio e ainda montando a minha composteira, YES, WE CAN!


A Isabel está crescendo, logo logo completa 2 aninhos, com certeza vai ser legal que ela tenha esse contato próximo com as plantas já na infância, afinal que criança não se encanta ao ver o grãozinho de feijão brotando em cima do algodão molhado? Imagine então ter uma horta inteira pra explorar!!!
Observar a natureza traz um aprendizado e experiência incrível para as crianças. Elas podem aprender sobre o ciclo da vida das plantas, aprendem que para as plantinhas crescerem fortes e bonitas elas precisam de cuidado, criam noção de responsabilidade e respeito à natureza, plantando elas são estimuladas à alimentação saudável e à conhecer novos sabores.
Ter uma horta em casa, mesmo que pequena, pode proporcionar todos esses benefícios para as suas crianças e para toda a sua família!
Me despeço com uma foto da nossa couve e o tomate-cereja bebezinhos, espero voltar logo com novidades sobre a horta!


quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Alternativa para o dia das crianças

Você já parou pra pensar na quantidade de brinquedos que o seu filho tem? Já analisou se ele brinca com tudo isso? Ou só brinca de vez em quando? Ou já enjoou da maioria? Será que vale mesmo a pena você despencar da sua casa pra lojas de brinquedos lotadas, a fim de comprar o brinquedo que seu filho viu na TV e te pede insistentemente (brinquedo esse que, muito provavelmente, ficará esquecido em um canto da casa em menos de uma semana)? Eu acho que não!
Pensando nisso e na luta pelo consumismo infantil desenfreado o instituto Alana mobiliza e ajuda as pessoas a se organizarem pra fazer uma Feira de Trocas de Brinquedos em sua comunidade.
A proposta é que as próprias crianças socializem entre si para realizar a troca, com isso elas vão aprendendo a desapegar e ceder seus brinquedos antigos, aprendem a negociar com o colega, valorizar a brincadeira e não o dinheiro. Com certeza as crianças saíram da feira felizes pois importante para eles não é a compra e sim a novidade, a brincadeira,  a experiência proporcionada com o passeio.



No site da Feira de troca de brinquedos você irá encontrar um link que informa como você pode organizar a sua própria feira no seu bairro, escola,  trabalho, etc. Acesse aqui!

E em outro link você encontra a lista com todas as feiras espalhadas pelo Brasil. A maioria acontecerá dia 12 de outubro, mas também tem feira amanhã e muitas outras estão sendo organizadas até o final do ano. Encontre uma perto de você aqui!

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Consumismo no dia das crianças

Semana do dia das crianças e vejo uma enxurrada de comerciais apelando pela atenção dos nossos filhos, pais desesperados pra comprar o presente da moda, crianças gritando em coro "Quero! Quero! Quero!".
A verdade é que a criança geralmente não sabe o que quer quando se trata de brinquedos pois ela é facilmente influenciada pelos comerciais, pelos coleguinhas, por isso é tão comum ver os pais reclamando que o filho pediu tanto, ganhou e deixou jogado 2 dias depois. Então devemos pensar melhor quais valores estamos passando para nossas crianças quando damos tudo que ela pede, quando a enchemos de presentes que elas não necessitam ou que elas já tem igual, quando mostramos que você só é legal quando tem o celular do mês.
Diante disso, tenho me questionado qual será o meu posicionamento quando chegar o dia que a Isabel se juntará ao coro, ela ainda não pede presentes pois só tem 1 ano e 7 meses, eu só lhe dou o necessário (ok sou meio compulsiva por livro infantis, mas acho que isso não conta  né?!)e confesso que sou muito consciente quando se trata de gastar,  mas o momento que ela começar a pedir será um desafio como é para todas as famílias.
Ao mesmo tempo que tenho boas lembranças de esperar pelo meu presente de dia das crianças e querer proporcionar isso pra minha filha, também tenho receio de incentivar a supervalorização do objeto, do "gastar dinheiro pra ser feliz".
Pretendo agir desta maneira: deixar que ela escolha um brinquedo (desde que esteja dentro do nosso orçamento) no dia do seu aniversário, nas outras datas comemorativas darei uma lembrança atrelada a um livro. A lembrança deve ser carinhosamente pensada, um brinquedo durável, que auxilie na inteligência, na criatividade, que esteja de acordo com sua idade e não uma bugiganga barulhenta, eletrônica e piscante de plástico. Mas também não precisa ser um brinquedo, pode ser um passeio, quero que ela veja esses momentos como dignos de comemoração,um momento em família como um grande presente. E pode ser uma lembrança feita por mim e pela família dela, dou valor nesse tipo de presente e quero que ela perceba o carinho que uma pessoa empregou quando fez algo só pra presenteá-la.
Eu sei que não é fácil dizer não aos nossos filhos, muitas vezes exageramos nos agrados materiais pois não tivemos oportunidade de usufruir disso quando éramos criança ou para conseguir substituir a nossa falta de presença. Este é um ótimo momento de rever esses valores busque uma maneira menos consumista de comemorar o dia das crianças, ainda dá tempo!

Isabel com seus brinquedos favoritos aos 9 meses



sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Coleção Itaú de Livros Infantis


Todos nós sabemos o quanto a leitura é importante para o desenvolvimento de uma criança, mais importante ainda é que um adulto leia pra a criança desde cedo. Esse incentivo precoce incentiva o habito para a vida toda, treina o olhar e traz familiaridade com as letras e páginas, aumenta o vocabulário, melhora o vínculo entre quem lê e quem ouve, estimula a criatividade com as histórias, traz conhecimento sobre o mundo ao seu redor...são inúmeros benefícios!

Todo ano a fundação Itaú Social envia livros com excelentes títulos gratuitamente para incentivar a leitura. Pedi a minha em 2011 e 2012 e me surpreendi com a qualidade dos livros que eles escolheram, vejam só:


Esse ano entrou o livro "O mundo inteiro" de Liz Garton Scalon e Marla Frazee e o livro "E o dente ainda doía" de Ana Terra. Já estou doida pra que chegam logo!!!
Não perca tempo! Clique no link, conheça o projeto e peça já a sua coleção!

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

"Amalthée" por Georges Pacheco

Hoje me deparei com esse ensaio fotográfico incrível feito por Georges Pacheco, vejam só:





O artista retratou essas mulheres como verdadeiras Deusas nesse momento de conexão com seus filhos que acontece através da amamentação. Gosto dessas iniciativas que aumentam a autoestima das mulheres que estão amamentando. Muita gente acha feio, repreende a mãe e alimenta seu filho em público, que amamenta por muito tempo, acho isso um absurdo e já está mais que na hora das pessoas aprenderem que dar de mamar faz bem e a hora de parar só diz respeito a mãe e ao bebê.

No página que vi sobre esse ensaio ( Hypeness) li alguns comentários que falavam sobre como as mulheres pareciam infelizes, frias e nem olhavam para as crianças, mas devemos levar em conta que as fotos fazem referência às pinturas renascentistas italianas e holandesas, e ainda, à pinturas da idade média onde as pessoas eram retratadas assim mesmo: com um olhar vago, muitas vezes com expressão triste, pensativa ou sofrida. Vejam como é semelhante:






Veja todas as fotos do ensaio "Amalthée"no site do fotógrafo Georges Pacheco: http://www.georges-pacheco.com/index.php?/portfolio/amalthee/